Caçada ao couraçado Bismark

O couraçado Bismark foi o navio mais imponente que a Kriegsmarine havia adquirido. Foi construído nos estaleiros de Blohm e Voss em 1º de julho de 1936 e batizado em 14 de fevereiro de 1939 sendo incorporado somente em 1940 pela marinha alemã. O Bismark era uma verdadeira máquina de guerra armado com oito canhões SK C/34 de 380 mm instalados em quatro torres de artilharia: duas dianterias – Anton e Bruno – e duas traseiras – Caesar e Dora. Sua bateria secundária consistia em doze canhões SK C/28 de 150 mm, dezesseis metralhadoras FlaK 38 de 105 mm, dezesseis SK C/30 de 37 mm e doze Flak 30 de 20 mm antiaéreas. A blindagem do navio tinha 320 mm de espessura e era coberta por convéses de 50 mm até 120 mm de espessura. Os canhões de 380 mm eram protegidos por uma blindagem de 220 mm até 360 mm. Além de seu pesado armamento, contava com um deslocamento de 50300 t, comprimento de 251 metros, boca de 36m, calado 9,3m propulsão 12 caldeiras Wagner,3 turbinas a vapor e 3 hélices de três lâminas. Sua velocidade chegava a 30.01 nós ( aproximadamente 55.58km/h) e autonomia de 8870 milhas náuticas (16 430 km à 35 km/h). Além de todas essas características, também possuía 4 hidroaviões Arado Ar 196. Sua tripulação era , aproximadamente 2 200 homens. Seu nome foi em homenagem ao Chanceler Otto Von Bismark. Além do Bismark o Tirpitz também estava no mesmo patamar de grandeza. O almirante Günther Lütjens, foi o  oficial escolhido por Hitler para liderar a operação ofensiva denominada “Operação Rheinübung” em maio de 1941 e o comando do Bismark ficou para o Capitão de Mar e Guerra Otto Ernst Lindemann.  O couraçado, juntamente com o cruzador Prinz Eugen, deveria sair da Polônia e seguir para o Atlântico Norte para atacar navios mercantes aliados que se deslocavam para a Grã-Bretanha. Os dois navios foram descobertos, nas proximidades da Escandinávia por um caça spitfire, e imediatamente foram comissionadas unidades para interceptá-las. E 24 de maio de 1941, na Batalha do Estreito da Dinamarca, o Bismark entrou em combate contra o orgulho da Marinha Real Britânica, o HMS Hood e o HMS Prince of Wale. O Bismark encontrava-se a noroeste dos dois navios ingleses e estava em vantagem porque podia atirar com todos os canhões enquanto os ingleses só podiam disparar com as torres de vante. Em menos de 10 minutos os alemães destroem o orgulho da armada inglesa. O Hood foi abatido e afundado com 1418 homens e apenas 3 sobreviveram ao ataque. Desse momento em diante o Bismark, juntamente com Prinz Eugen voltam-se para o Prince of Wale. O couraçado Bismark aponta seus canhões para o solitário navio e, tanto o Bismark, quanto o Eugen descarregam seus armamentos principais e secundários sobre o navio inglês. Os resultados deste ataque foram devastadores pois a primeira salva mata todos os homens que encontravam-se na plataforma restando apenas 3 homens. A segunda salva atinge a torre de controle atrás da plataforma e os tiros seguintes atingem a chaminé, o convés e o casco do navio. O  Prince of Wale sofreu 7 ataques violentos produzindo 14 mortes e deixando seus canões inutilizados. Diante desse caos o navio inglês não tinha condições de vencer os 2 navios alemães bem mais treinados e preparados. O HMS Prince of Wale desaparece atrás de uma cortina de fumaça em direção ao sudeste. O Bismark decide não persegui-lo deixando seu adversário seguir seu rumo. Nessa batalha o Bismark, após ser atingido 3 vezes, sofreu avarias em sua proa tendo um dos seus tanques de combustível perfurado. Às 18h14 do dia 24 de maio de 1941, o Bismark se separa do Eugen e navega rumo a um porto seguro buscando consertar o navio. Após o afundamento do Hood e com a perda milhares de seus melhores oficiais e marinheiros, a Marinha Real deu início a uma feroz perseguição ao couraçado Bismark. A Grã-Bretanha contava para essa missão com inúmeros navios. O couraçado, dois dias após, foi localizado pela marinha inglesa nas proximidades do porto Saint-Nazaire, na França Ocupada. Visando impedir o alcance de seu objetivo, aviões torpedeiros Fairey Swordfish decolaram do porta-aviões HMS Ark Royal e investiram contra o Bismark. Um dos torpedos atingiu a popa do navio, destruindo um dos lemes e seu funcionamento, tornando sua navegação deficiente. Com o leme de bombordo travado, o Bismarck navegava em um grande círculo, incapaz de fugir da Marinha Britânica. Na manhã de 27 de maio, após seu cerco e seus esforços de sobrevivência, o Bismarck foi destruído por navios britânicos. Acredita-se que Lindemann, Lütjens e os outros oficiais provavelmente morreram quando os disparos britânicos atingiram a ponte do Bismarck às 9h02min. Até os dias de hoje as causas de seu naufrágio é controversa pois alguns afirmam que os torpedos disparados pelo HMS Dorsetshire foram fatais, enquanto que os sobreviventes alemães afirmam terem recebido ordens para afundá-lo. Em 8 de junho de 1989, o Dr. Robert Ballard descobriu seus destroços há 4791 metros de profundidade à de 650 km ao oeste de Bres. Ele também foi responsável por encontrar o RMS Titanic. Além de Ballard, outras expedições pesquisaram os restos do couraçado Bismarck para documentar sua condição e determinar a verdadeira causa de seu naufrágio.

 

Swordfish HMS Hood
       
Acompanhe os detalhes da estratégia adotada pela      
Marinha Real para caçar e afundar o Bismark.

Referencias:
BISMARCK (COURAÇADO). In: WIKIPÉDIA, a enciclopédia livre. Flórida: Wikimedia Foundation, 2015. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Bismarck_(coura%C3%A7ado)&oldid=43179388>. Acesso em: 26 ago. 2015.

Comentários estão fechados