Operação Barbarossa

 A Invasão da União Soviética

Panzer IV destruído - Batalha de StarlingradApesar da Alemanha  ter assinado com a União Soviética o Pacto de Não-Agressão em 1939, Hitler não hesitou em invadi-la em 22 de junho de 1941. Ficou evidente que ele não atacou os russos anteriormente  porque ainda não era o momento.  Além do mais, o leste europeu sempre chamou sua atenção por suas riquezas como o petróleo e o trigo. Para os alemães a guerra contra os soviéticos tinha um caráter marcante de uma guerra de extermínio uma vez que consideravam os eslavos como uma raça inferior e além disso, queria destruir sua ideologia comunista. Para esta grande invasão, a Alemanha contava com um enorme exército até mesmo reforçado por outros países como Romênia, Finlândia, Itália, Hungria, Eslováquia e Croácia,além da “Divisão Azul” da Espanha. Mas apesar de todo o seu  poderoso exército, a Blitzkrieg alemã, pela primeira vez em suas investidas, acabou falhando. Os russos, num primeiro momento, foram derrotados, possibilitando a incursão das tropas alemães cada vez mais para o interior de seu vasto território. A cada dia porém, a situação dos soldados ia se agravando, tanto pela escassez de recursos quanto pela grande área a ser ocupada e mantida. Além de todas essas dificuldades o inverno russo chegou com muita violência antes da vitória final. Às portas da cidade de Moscou o exército alemão paralisou completamente, exauridos e atolados na lama e na neve. Mesmo diante do caos que se encontravam as tropas alemãs, Hitler ordenou que seus combatentes permanecerem imobilizados até uma nova ofensiva na primavera. Os soviéticos, após sofrer o impacto inicial da invasão alemã, passaram a preparar-se cada vez mais de maneira a reter o avanço alemão. Seu potencial industrial foi transferido para a regiões dos Urais e Sibéria. Estas áreas estavam fora do alcance dos alemães. Os russos além de criarem novas armas mais eficazes como os tanques T-34 e os lança-foguetes Katyusha e mobilizar um grande potencial humano,  receberam quantidades enormes de recursos de seus aliados ocidentais. Sessenta por cento da receita estatal foi destinada a produção de material bélico e 11.000.000 homens foram colocados em condições de combate. Apesar de todo os esforços soviéticos, Hitler estava disposto a tomar Stalingrado e o petróleo do Cáucaso. Para isso, ao longo de 1942 suas divisões passaram de 184 para 193. Cerca de 70% da cidade de Stalingrado estava ocupada por soldados alemães e os combates se intensificavam a cada dia.201px-Germans_in_Stalingrad Os combates eram travados de casa em casa e de prédio em prédio. Para uma área  ser conquistada muitas vidas humanas foram sacrificadas. Mas em fevereiro de 1943 o VI Exército do marechal Von Paulus redeu-se perante as tropas soviéticas. Cerca de 250.000 homens foram mortos nos combates e 100.000 foram feitos prisioneiros. Após sua prisão Von Paulus empenhou-se na causa antinazista. Muitos fatores podem ter colaborado para a vitória dos soviéticos: A dedicação, mobilização e persistência do povo russo, a extensa área territorial a ser conquistada pelos invasores frente a escassez de recursos e o despreparo dos soldados alemães frente ao clima adverso.A Alemanha recebeu a notícia da campanha na Rússia ao som do segundo movimento da Quinta Sinfonia de Beethoven reproduzido pelas estações de rádio. A Batalha de Stalingrado registrou o final da ofensiva alemã no leste mas seu líder Adolf Hitler não estava convencido deste fato. Diante disso, organizou uma nova Operação denominada Operação Cidadela na região de Kursk . Apesar de toda esta  Operação ter sido realizada com cuidado mobilizando  cerca de  500.000 soldados e tanques seu desfecho foi novamente desastroso. A Batalha de Kursk foi a última ofensiva alemã contra o exército russo. Deste momento em diante a iniciativa partiu dos soviéticos realizando operações que os dirigiriam até à vitória final nas ruínas de Berlim.

Referencias:
Lopez, Luiz Roberto, História do século XX. 3ª ed. Porto Alegre, Mercado Aberto, 1987

 

Comentários estão fechados